Tane Konsumidor

(+670) 3310938
cac@tanekonsumidor.tl

CABAZ DE BENS DE CONSUMO
RECOLHA DE PREÇOS - 1º TRIMESTRE 2021, MÊS DE ABRIL

Objetivos da recolha de preços

  • Informar o consumidor sobre possibilidades de compra e permitir que faça escolhas mais acertadas.
  • Ajudar os consumidores a ter acesso aos produtos alimentares mais baratos, nomeadamente os mais consumidos e aqueles com maior procura em Timor-Leste.
  • Verificar se, no presente período de emergência, existe aumento/manipulação de preços para esses produtos e denunciar, se se vier a verificar que existe.
  • Ajudar consumidores mais vulneráveis a conseguirem aumentar as suas competências em literacia financeira, aumentando assim o seu bem-estar da sua família e a boa gestão do orçamento do agregado.
  • Promover uma atitude critica por parte dos consumidores que lhes permita, através das suas escolhas (comprar mais barato), exercer uma ação “corretiva” sobre o mercado.

Sobre a metodologia

  • O cabaz de produtos selecionado engloba apenas produtos alimentares, abarcando produtos para base para a satisfação de necessidades básicas e uma dieta equilibrada, bem como bebidas alcoólicas e refrigerantes.
  • Os 11 produtos selecionados correspondem àqueles que as famílias timorenses mais procuraram durante o Estado da Emergência, de acordo com o Direção Nacional de Estatística;
  • O Cabaz contempla os seguintes produtos: arroz, carnes (frango e porco), açúcar, farinha de trigo, manteiga, óleo, leite (líquido e em pó), ovos, maçãs, refrigerantes e cervejas.
  • Para a constituição do Cabaz optou-se pelo preço mais baixo para a mesma categoria de produto, independentemente da marca ou da origem.
  • Para determinar o preço mais barato, escolheram-se os produtos com a menor embalagem/quantidade, tendo os preços sido ajustados para corresponder à quantidade indicada no cabaz. Por exemplo, a quantidade de referência utilizada para o arroz foi de 20 quilos e nos casos de lojas que só disponibilizaram sacos de 25 quilos foi feita o cálculo para determinar o preço de 20 quilos.
  • No caso das carnes, optou-se por incluir a carne de porco e frango, em detrimento de outras, como a carne de búfalo, que não são vendidas em todos os estabelecimentos e são mais dispendiosas, não estando ao alcance do poder de compra de muitos timorenses.
  • O levantamento de preços foi feito em 21 estabelecimentos comerciais distribuídos pelos seguintes postos administrativos em Dili:
    • Posto Administrativo Nain feto (parte central) com um total de 10 estabelecimentos comerciais: Dilimart Akadiruhun, Dilimart Lecidere, Jacinto Kuluhun, Leader Kuluhun, Lita Store Lecidere, Meimart Audian, Phoenix 368 Akait, Salmi Mart Audian, Searra em Bairro Central e Wfour Audian.
    • Posto Administrativo Vera Cruz (parte Norte) com 3 estabelecimentos comerciais: 8 Supermarket Vila Verde, Matsunichi Matadoru e W Four Colmera.
    • Posto Administrativo D. Aleixo (parte Oeste) que abrange 8 estabelecimentos comerciais: Centro Marconi, Family First Hudi-laran, Good Life Campung Baru, Grasia Shop Comoro, Leader Comoro, Meimart Fatuhada, Metromart Fatuhada e W four TP.
  • Foram recolhidos e comparados um total de 231 preços, além dos preços comparados nas próprias lojas para determinar o produto mais barato para cada categoria.
  • A recolha foi feita pela equipa da TANE nas lojas identificadas na tabela (Anexo 1), entre os dias 26 e 30 de abril de 2021
  • A equipa contou com o apoio dos estudantes universitários da UNTL presentemente em estágio na TANE Konsumidor.
  • Todos os produtos estavam à venda em todos os estabelecimentos do comércio indicados.
  • Todos os produtos tinham os preços afixados em dólares americanos.

Conclusões sobre os preços recolhidos

  • O Supermercado onde o cabaz de produtos selecionado é mais barato é o Good Life, em Kampung Baru, posto Administrativo D. Aleixo, Município de Dili, com o valor de $39,90 dólares.
  • O supermercado onde o cabaz de produtos tem um valor mais elevado é o Centro Pantai Kelapa, posto administrativo D. Aleixo, Município de Dili, no valor de $48,65.
  • O potencial de poupança para os consumidores que tenham os preços dos produtos em consideração pode ir até $14,75, que é a diferença de preços entre o supermercado com o cabaz mais caro e o cabaz mais barato (a variação de 44%).

 

  • A variação de preços é muito acentuada entre as lojas havendo 6 produtos em o valor mais caro é 2 a 3 vezes superior. São exemplo disso as maçãs (580gr) que custam 1 dólar no Good Life - Campung Baru e no Searra - B.º Central custa 3 dólares no Lita Store – Lecidere e no Leader – Comoro ou a carne de porco (1 kg) que custa 2 dólares no Good Life - Campung Baru e no Family First - Hudi-laran e no Centro Pantai - Kelapa.

Comparação com cabaz de Natal de 2020

A TANE publicou o primeiro Cabaz de Produtos em dezembro de 2020, cujos resultados podem ser consultados online. Este primeiro cabaz constitui um passo fundamental para este cabaz permite uma análise dos preços dos produtos e da sua evolução, permitindo ao consumidor fazer as escolhas mais acertadas e de acordo com as suas necessidades e disponibilidade.

  • Os supermercados incluídos na primeira recolha de preços mantiveram-se, à exceção de 2 - Petéo e Qulina - porque não disponibilizam todos os produtos do cabaz definido para a recolha de preços em abril de 2021.
  • De uma forma geral, os produtos sofreram um aumento de preços, em comparação com dezembro de 2020. Ajustado o cabaz aos produtos que foram pesquisados em ambos os levantamentos, há um aumento de 12%, o que corresponde a $2,31. Interessa notar que o aumento não é igual para todos os produtos, havendo um aumento mais elevado para os alimentos mais essenciais na alimentação dos timorenses, como o arroz ou o óleo.
  • Este aumento de preços é preocupante se tivermos a situação económica, social e sanitária de Timor Leste, onde o salário mínimo é $115 dólares e o desemprego é muito elevado.

  • O arroz, base da alimentação dos timorenses, em embalagens de 20 Kg sofreu um elevado aumento. Em dezembro de 2020, o preço mais baixo era 10 dólares e atualmente é 12, o que representa um aumento de 20% (2 dólares) no espaço de 4 meses.
  • Esta aumento é apenas ultrapassado pelo óleo, com um aumento de 35% do óleo.
  • Os restantes aumentos situam-se entre os 6% e 17%: frango entre 6%, manteiga 17%, ovos 10%.
  • Há dois produtos com descida de preços. A cerveja de 250 ml, bebida alcoólica, que desceu 10% e a maçã, a que a TANE gostaria de dar destaque. A descida de preço da maça em 23% (menos 29 cêntimos) é muito positiva, pois fica assim acessível aos timorenses esta fruta, um alimento saudável que deve integrar a nossa dieta diária.
  • Dois produtos mantiveram o seu preço, a coca cola de 250 ml e o açúcar de 1kg.

Reflexão sobre os possíveis impactos da Cesta Básica sobre a evolução dos preços

  • O programa Cesta Básica foi implementado no âmbito do programa da recuperação económica do Governo de Timor-Leste, com um duplo objetivo. Por um lado, apoiar as famílias e garantir o seu acesso a bens alimentares para satisfação de necessidades básicas. Por outro, incentivar os agricultores e comerciantes (Plano_Recuperacao_Economica_Timor-Leste-20203.pdf).
  • O Programa Cesta Básica é uma medida importante de apoio aos consumidores mais vulneráveis e como forma de dinamizar a economia. Porém, o facto de fixar como preço para o arroz (nacional) entre 1 a 1,5 dólares por quilo, pode estar a inflacionar os preços praticados ao nível nacional. Esta relação causal é muito provável porque o preço do arroz importado o preço mais baixo é atualmente de 60 cêntimos, quando no Natal era de 50 cêntimos.
  • A TANE considera que é fundamental o governo continuar a promover a produção nacional e a consolidação da capacidade produtiva do país, mas apela a que o governo mantenha uma apertada vigilância sobre os impactos das políticas implementadas, em particular a possível existência de práticas concorrenciais que são lesivas dos interesses dos consumidores e o impacto na evolução dos preços. A opção de apostar na melhoria dos processos de produção para serem mais eficientes e terem um custo menor é um dos caminhos que a TANE recomenda porque o impacto para o consumidor será maior.

Anexo 1 - Tabela Comparativa de Preços